Como obter energia vital respeitando e cuidando da vida?

 em Artigos, Biologia

Como obter energia vital respeitando e cuidando da vida?

Essas reflexões nasceram do diálogo sincero com amigos e amigas que fazem parte da minha vida. O respeito e o cuidado com as vidas dos seres são as atitudes que orientam as práticas aqui propostas para obtenção de energia vital. Como ter vitalidade respeitando e cuidando da vida, sem matar outros seres, sejam eles animais ou vegetais?

Luz e radiação solar

Quero compartilhar algumas reflexões sobre o sol como fonte de vitalidade. Você sabia que a Luz e radiação solar são fundamentais para sintetizar vitamina D e que as mitocôndrias, aquelas bactérias que fornecem energia para nossas células, dependem do sol para funcionarem bem? Por isso, é importante tomarmos sol pelo menos uma vez ao dia. O espectro de luz solar conta, inclusive, com os raios laser que nos atravessam quando nos expomos ao sol. Respirar luz solar imaginando que ela está sendo levada ao nível celular, molecular e atômico é uma meditação interessante. Além do espectro de luz e da radiação solar temos o plasma, um campo iônico resultante do encontro entre o campo magnético do sol, com o campo magnético da terra. No caso da Amazônia temos energia solar em quantidades infinitas. A questão é como transformar luz, calor e radiação solar em energia para o corpo. Uma espécie de antropofotossíntese. Os banhos de sol indicados pela Unibiótica, os exercícios ao sol para os olhos do Selfhealing e os exercícios ao sol da ioga fornecem algumas técnicas desenvolvidas nos últimos milhares de anos. Tomar sol no corpo é fundamental para se ter vitalidade.

Os poderes da água

Duas perguntas para guiar nossas reflexões em tempos de quarentena: Como ter vitalidade sem matar animais ou vegetais? Como ter uma dieta imuno-preventiva e anti-inflamatória? A água é uma das fontes de nossa vida. Nosso corpo é 70% água. Cuidar da água na cidade, em casa e no nosso corpo é cuidar de nossa vida. Beber água com PH acima de 7. Um copo por hora. Os rins agradecem. Filtrar a água para reduzir o cloro e o flúor. Na falta do filtro deixar a água em repouso por algumas horas, o cloro repousara no fundo da jarra. Muitos micro-organismos bons são eliminados pelo cloro. Para revigorar a água que vamos beber podemos colocar na jarra uma folha de moringa ou tulaci. Muitos fatores influenciam sobre a estrutura molecular da água. As imagens, as palavras, o humor e as ondas eletromagnéticas são algumas dessas influencias. A água tem sensibilidade. Os veios subterrâneos e os lençóis freáticos de água emitem radiações. Evite dormir ou trabalhar sobre eles. A água entra em nosso corpo também através da pele e da respiração. Banhos em rios e cachoeiras são benvindos! Em dias quentes banhos de chuva são uma boa opção. Mas, como recomendam os mais velhos, não fique molhado. É secar e se proteger da friagem.

Respiração: o sopro da vida

Começamos nossa vida com a primeira respiração e terminamos com o último suspiro. Podemos captar e produzir bioenergia de diversas fontes: luz do sol, água, alimentos e ar. Respiramos oxigênio e outros gases que estão no ar. Também absorvemos a umidade ao inspirar. Quando respiramos sentimos cheiros. O ritmo da respiração tem a ver com o ritmo da vida. A todo instante de dentro para fora, de fora para dentro. O diafragma contrai para puxar o ar para dentro e relaxa para soltar o gás carbônico. Inspirar, reter e expirar. É dar e receber. A respiração nos liga a tudo o que existe. É interação com o ambiente. Tem a ver com contato e relacionamento. Por isso, as vias respiratórias e o pulmão são órgãos de contato. O jeito como respiramos mostra nosso estado emocional. Por exemplo, a sensação de inferioridade e o medo se manifestam numa respiração que põe pouco ar para dentro. Já nos momentos de coragem, alegria e confiança nossa respiração é grande. Podemos mudar nosso estado emocional, alterando o ritmo respiratório. Respiramos tranquilos quando nos sentimos protegidos e ficamos ofegantes quando nos sentimos desamparados. Reservar alguns momentos para praticar respiração consciente pode ajudar muito em nossas relações. Experimentemos por alguns minutos uma respiração relaxada. Ampla e ritmada. Vamos resgatar o prazer de respirar e desfrutar de seus benefícios. Permitamos que as emoções venham e deixemos elas irem.
Enquanto respiramos conscientes deixemos os sentimentos passarem, ao mesmo tempo que passamos por eles. Tudo passa. Deixemos as sensações corporais, imagens e sentimentos virem e irem. Tentemos evitar a supressão e recriminação de conteúdos interiores que se manifestam. Sejamos gratos pelo milagre da existência. Ajuda a superar bloqueios interiores e permite produzir vitalidade.
Os exercícios respiratórios aumentam a força vital, melhoram a capacidade pulmonar, regulam o peso corporal, a digestão e o funcionamento da musculatura involuntária. Além de ajudar na percepção consciente de nossas interações. Respiração abdominal ajuda a baixar o estresse. Nós também captamos ar pelos poros da pele, por isso os banhos de ar são uma experiência interessante. A dança possibilita combinar respiração, movimentos e música. Dancemos no sopro da vida!

A vida das ondas nas ondas da vida

As ondas são parte integrante de nossa vida. Nós pulsamos e vibramos. Nossos órgãos pulsam. Nosso cérebro emite ondas. Até dormindo produzimos ondas. Quando pensamos e sentimos emitimos ondas. Cada emoção vibra numa frequência de energia. Estar alegre gera frequências diferentes de estar angustiado. Elas estão dentro e fora de nós. Podem ser ondas elétricas, ondas sonoras, ondas de luz e ondas emocionais.
Radiações de ondas eletromagnéticas como as radiofrequências VHF e UHF, micro-ondas, infravermelho, ultravioleta e raio-X. Ouvimos ondas sonoras de 20 a 20.000 Hertz. As torres de celular estão por todos os lados. A maioria de nós usamos aparelhos celulares. Corpos emitem e recebem ondas. A conexão com campos vibratórios tem a ver com empatia e ressonância. Um desafio: desenvolver nossa capacidade de perceber frequências mais sutis.
Os tratamentos com radioterapia, radiestesia, eletrochoques, alfagenia e magnetismo revelam um pouco do potencial desses campos na vida humana. A música é onda e é intangível, gerando na pessoa uma modificação de seu estado emocional. Inclusive os animais, as plantas, os micro-organismos e a água são sensíveis à música. Ela produz um campo de bioenergia. Algumas sugestões para experimentar as ondas: podemos trocar playlist’s de músicas. Talvez seja prudente evitar manter o celular colado ao corpo. Desligar o wi-fi de casa e o celular antes de dormir. Vivemos cercados de redes elétricas de alta tensão nas cidades e de baixa tensão em nossas casas. Frequentar ambientes sem rede elétrica. Quando for possível podemos nos banhar no mar, em rios e cachoeiras. Visitar ambientes naturais. Andar descalços para tomar contato com a terra. Sempre que possível podemos criar espaços circulares ou decorar nossos espaços de convivência. Conectar-se e propagar campos de energia amorosos traz vitalidade.

Você já ouviu falar em probióticos?

Dentro de nós vivem muitos micro-organismos, principalmente no intestino. Eles são essenciais para o bom funcionamento de nosso corpo. Nós somos o seu microcosmos. É um trabalho cooperativo! As mais famosas são as bactérias. Existem alimentos e bebidas que fortalecem esses parceiros. As emoções também ajudam a manter o bem-estar na nossa fauna intestinal. Alegria: Cebola; Ternura: alho, cenoura, aveia, arroz integral; Harmonia: banana e rúcula! Algumas bebidas fermentadas como o kombuchá e o kefhir são opções simples para cultivar esse bioma. Já as mitocôndrias produzem ATP e ADP, energia para nossas células trabalharem. O sono é fundamental para o bom funcionamento delas. São organelas aeróbicas que vivem nas nossas células.
Se expor ao sol de manhã, meio dia e a tarde é uma forma de estimular as a produzirem energia para as células. O jejum intermitente de 16 a 20 horas uma vez por semana ajuda as mitocôndrias a se regenerarem pela desintoxicação. As massagens e imposição de mãos na região do abdômen também criam um campo de bioenergia favorável a cooperação entre nós e esses seres que habitam em nós. Para quem quer saber mais sobre o assunto sugiro a leitura do livro “O Discreto charme do intestino” de Giulia Enders.

Os afetos nos nutrem, nos animam, melhoram com nosso metabolismo

Carta a um amigo que se foi:

Caro amigo Fausto escrevo esta carta póstuma para agradecer a amizade e sua presença entre nós. Recordo a primeira vez que nos vimos na universidade: você e a Leni foram resolver questões de matrícula e a Joici me apresentou vocês. Lembra quando cheguei em sua casa com o Romério para ver o Fernando? A casa grande bonita coberta de palha sempre aberta aos amigos. Quantos peixes assados ao som dos artistas de rua que me acompanhavam. Grato por recebê-los com tanta gentiliza e respeito. Quando seu pai disse que trabalhou para uma família de japoneses no Taiano foi surpreendente. Ainda bem que ele recusou o convite para ir com eles para o Pará. Já pensou em vez de macuxi, você seria nipo-macuxi! E aquele almoço lá em casa? Grato por levar a família e confiar nas minhas limitadas aptidões culinárias. Quantos banhos no Naja após te visitar. E a candidatura a deputado estadual: coragem é a palavra para sua ousadia. E a construção dos Projetos Políticos Pedagógicos nas escolas estaduais indígenas? Foram jornadas de fôlego. Você escolheu investir no estudo dos filhos em vez de comprar carro novo e casa na cidade. Você, coçando as costas na parede da casa enquanto conversávamos, é uma imagem inesquecível! Grato pelos cajus do quintal derrubados com a vara comprida. Desculpa quase ter derrubado o poste de madeira em frente a varanda, foi uma manobra desatenta. Amigo você vai e nós ficamos. Querido macuxi lavradeiro foi um privilégio compartilhar esses 14 anos vida com você. Um grande abraço do amigo Franco

Sono

O planeta vive diferente a noite. Quando dormimos existimos de um modo diferente. Nosso metabolismo se transforma. Nossas glândulas alteram a produção de hormônios durante o sono. Aliás, as glândulas são fundamentais para nosso equilíbrio orgânico. Inclusive, elas são muito sensíveis às emoções. Durante o dia movimentamos nosso corpo de forma criativa, usamos nossa força muscular e exercitamos nossas capacidades intelectuais. A noite entramos noutro estado orgânico. É hora de relaxar para dormir. Algumas coisas que podem induzir ao sono: ***aromatizar o ambiente***meditação e movimentação suave de articulações ***ouvir músicas suaves***diminuir o nível de ruídos ***chás como passiflora, valeriana, melissa, molungo***. O magnésio também pode ajudar nesse relaxamento***alinhar nossa energia com aquilo que está ao do lugar onde dormimos***privilegiar atividades criativas e meditativas***. Outra proposta é desligar aparelhos eletrônicos***. Uma experiência mais radical é desligar a energia elétrica da casa. Mas se você adormece fácil e tem sono de qualidade, desconsidere as sugestões anteriores.
É muito importante sentir-se abrigado e protegido. O sono é fundamental para o bom funcionamento das mitocôndrias. Uma coisa é o relaxamento para dormir, outra é a qualidade do sono. Uma boa qualidade de sono depende, entre outros fatores, da melatonina. Um hormônio produzido pela glândula pineal quando anoitece, mas é necessário estar no escuro. Ao adormecer nosso cérebro produz ondas “teta”. Já no sono profundo produzimos ondas “delta” entre 3 a 4 hertz. Nesse estado o tônus muscular fica inativo. Nos isolamos do mundo exterior. A audição é a última guardiã da vigília a ser desligada. Nesse momento podemos mergulhar nos sonhos. Um mundo sem gravidade, sem atmosfera, sem força da gravidade, espontâneo, psicodélico. Prestar atenção nos sonhos é interessante. O que eles significam? Pergunte ao seu corpo. Em algum momento você terá insights durante o dia sobre o sentido dos seus sonhos.

As artes são nutritivas!

Que tal dedicar alguns momentos para apreciar ou fazer algum tipo de arte? Cantar, dançar, pintar, poetar, fotografar, esculpir, videar, cozinhar, escrever, plantar, arquitetar, iogar, montar arranjos decorativos, maquiar, costurar, encenar, cuidar, jardinar, malabariar, cenografar, aromatizar, massagear, modelar, discursar, apreciar. São tantas formas de criar beleza.
Comer respeitando a vida
É possível comer bem sem matar animais e vegetais. Podemos compor uma dieta baseada em sementes, flores, frutos, legumes, folhas, algas marinhas, cogumelos comestíveis, probióticos, mel, própolis, derivados de leite natural e ovos caipira. As sementes têm vida guardada nelas. Por isso comemos arroz, feijão, milho, trigo, aveia, lentilha, girassol. O cereal nasce e cresce. Quando ele termina seu ciclo vital colhemos as sementes. Os cereais são a herança de um ser que nos deixou.
As castanhas também são sementes. Esse respeito radical com a vida também pode ser praticado quando consumimos os legumes, as frutas e as flores. As plantas continuam vivas depois que colhemos frutas e flores para comer, enfeitar ou presentear. Esse mesmo princípio pode ser estendido a coleta de folhas e algas marinhas: retiramos as folhas e algas adequadas para o consumo e deixamos o vegetal seguir sua jornada. Podemos continuar cuidando deles. Por que arrancar a planta inteira? É o caso da couve, da moringa, do Ora pro Nobis, do manjericão e do coentro. Pegamos algumas folhas para enriquecer nossa refeição e a planta continuará viva. Isso vale inclusive para as plantas comestíveis não convencionais que muitas vezes aparecem em nosso quintal, nos terrenos baldios ou em matas secundárias e nas áreas preservadas.

Elas podem ser excelentes fontes de vitaminas e minerais. No caso das raízes como mandioca e inhame, podemos retirar a planta do chão e replantar ramas ou uma porção da raiz para que a planta continue seu ciclo vital. Os alimentos produzidos pelas abelhas, aves e mamíferos como mel, própolis, ovo caipira e derivados de leite natural são nutritivos. Cuidar das plantas, dos animais ou dos probióticos é diferente de domesticar e explorar. Por isso, é importante sabermos como os alimentos que comemos foram produzidos. Mais ternura e menos agrotóxico!

Comentários conclusivos

Uma dieta baseada nessas fontes de energia vital provavelmente transforme nosso organismo rapidamente e propicie bem-estar. Teremos mais vitalidade. Porém exige simplicidade e disciplina. Constância e regularidade combinadas com espontaneidade e criatividade. É importante compartilhar nossas experiências e incentivar as pessoas a experimentarem e sentir os resultados em suas vidas.

José Carlos Franco de Lima

Share This:

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Pin It on Pinterest